Tornado em Vila Chã (Vila do Conde) - 10 abril 2016 – 6:40 UTC

:


Enquadramento sinóptico

Uma massa de ar frio pós frontal, na circulação de uma depressão barotrópica centrada a sudoeste das ilhas britânicas, com 982hPa em 48N 12W às 06UTC e com expressão até aos níveis mais elevados da troposfera, associada à corrente de jato, dá origem à formação de uma linha de convergência de humidade na baixa troposfera. Esta linha, a que corresponde um gradiente pouco acentuado na temperatura da massa de ar, encontra-se bem definida noutros campos, pelos valores mais elevados da água precipitável, advecção de vorticidade e movimentos verticais ascendentes, que são muito intensos nos níveis baixos até 700hPa. Os valores dos índices de instabilidade associados a esta perturbação são insignificantes mas os valores dos índices de convecção profunda são significativos.

O tefigrama previsto para o Porto às 06 UTC mostra a tropopausa alta, a cerca de 10000 metros de altitude, e a massa de ar com CAPE de valor pequeno, mas instável e saturada desde níveis muito baixos (500 metros) até cerca de 3500 metros de altitude, aos 650 hPa. Destaca-se o shear do vento, com a intensidade a aumentar acentuadamente com a altitude nos níveis baixos, embora não haja veering.

 

P1.png

P2.png

P3.png

P4.png

P5.png

P6.png

P7.png

 

Observação satélite

Imagem RGB massa de ar às 06 UTC mostra nebulosidade organizada correspondendo à linha descrita.

 

P8.png

 

Observação radar

As imagens de radar mostram no campo da refletividade uma linha organizada com ondulações que se formam devido a movimentos de rotação que se estabelecem nos níveis baixos. A imagem de PPI (indicador de posição plana, elevação de 0.0°) da velocidade em relação à tempestade, às 6:46 UTC do radar de Arouca, mostra vários vórtices de rotação que estão assinalados, indicando a vermelho o dipolo de rotação com movimento de sentido ciclónico que estava associado a um padrão do tipo “eco em arco” que se assinala na imagem de PPI (indicador de posição plana, elevação de 0.0°) de intensidade da precipitação para o mesmo instante. Neste momento ainda sobre o mar, esta perturbação desenvolve-se passando sobre o local assinalado com X, onde ocorreu o tornado. O perfil vertical do vento observado pelo radar mostra que na camada baixa o vento era de sudoeste, com intensidade a aumentar significativamente com a altitude.

 

P9.png

P10.png

 

Tornado em Vila Chã

O tornado ocorre cerca das 6:40 UTC, em Vila Chã, conselho de Vila do Conde, causando danos estimados em 60.000€. O remoinho não foi visto. É referido: “primeiro um trovão, depois um grande estrondo”, “foi tudo muito rápido”.

Vem da Praia de Puços, provavelmente já estava formado sobre o mar. Primeiro atinge 2 casas na Rua da Praia, atravessa os campos, atinge 3 vacarias onde levanta as coberturas e deita a baixo um muro grande. Junto à igreja atinge uma casa com telhado novo levantando quase todas as telhas e partindo a chaminé. Continua o seu trajeto em campo aberto, não havendo notícia de mais danos. Passou perto da escola e da igreja, sem causar danos. (Fonte: noticiários televisão, jornais e declarações do Presidente da Junta de Freguesia de Vila Chã).

O trajeto estimado tem comprimento de 1300 metros sobre terra, de sudoeste para nordeste.

Os efeitos produzidos permitem calcular que teve intensidade F1/T2.

 

P11.png

 

P12.png

Entrar


Esqueceu a sua senha?
Novo utilizador?