Tornado em Oliveirinha (Aveiro) -15 Abril 2016 - 08:40 UTC

:

 

Enquadramento sinóptico

A circulação de uma depressão complexa com núcleo principal a norte dos Açores com 1000 hPa 48N 28W às 06UTC que tem expressão até aos níveis mais elevados da troposfera, e com um núcleo secundário à superfície com 1004 hPa em 40N 12W, dá origem a um fluxo de sudoeste, numa massa de ar com tetasw de 13 º C.

Os campos do geopotencial, temperatura e vento aos diversos níveis, mostram um forte fluxo quente de sudoeste que se encontra-se desde a superfície aos níveis mais altos da troposfera, onde está associado à corrente de jato, com elevado teor em água precipitável (valores máximos superiores a 25 mm) numa região de instabilidade e forte advecção de vorticidade entre os níveis 850 e 500 hPa.

Na imagem de satélite RGB massa de ar.das 06UTC observa-se numa linha organizada de nebulosidade com desenvolvimento vertical que se forma neste ambiente e que se encontra sobre o local onde ocorreu o tornado. Esta linha também se identifica por apresentar forte convergência de humidade na baixa troposfera e movimentos verticais ascendentes, que são localizados nos níveis baixos até 700hPa e mais fortes ao nível dos 500 hPa, em que os valores dos índices de instabilidade são pouco importantes (CAPE inferior a 300 J/kg) mas os valores dos índices de convecção profunda são significativos.

O Tefigrama previsto para as 09 UTC no local onde ocorreu o tornado, mostra a tropopausa alta, a cerca de 9000 metros de altitude, e a massa de ar muito húmida, quase saturada, em toda a troposfera. Destaca-se o shear do vento, e um ligeiro veering do vento. O valor de CAPE é residual numa massa de ar potencialmente instável.