Tornado em Angeiras (Matosinhos) 10 Janeiro 2016 02:20 UTC

:

 

 

 

Enquadramento sinóptico

10 jan 2016 – 00 UTC

Agradeço a: Susana Gonçalves e Serviço Municipal de Proteção Civil de Matosinhos pela informação resultante do trabalho                                     de campo. A Paulo Pinto (Div MV, IPMA) pela contribuição para o estudo das imagens de radar.


Forte fluxo de oeste num sector quente com elevado conteúdo de água precipitável, em que se propagavam diversas linhas de instabilidade. Forte corrente de jato com orientação W – E.O índice de convecção profunda é significativo na região litoral norte de Portugal.

A1.bmp

CBBB.bmpcopy_of_A3.bmp
A4.bmp A5.bmp copy_of_A6.bmp

Na região litoral norte de Portugal os movimentos verticais ascendentes são muito fortes nos níveis baixos, a 850 e 700 hPa, sendo ainda intensos mas menos significativos a 500 hPa. A convergência de humidade e a advecção de temperatura nos níveis baixos é significativa assim como  advecção de vorticidade na camada entre 850 e 500 hPa.

M1.bmpM2.bmpM3.bmp
V1.bmp copy_of_V2.bmp copy_of_V3.bmp

 

10 jan 2016 – 03 UTC

Tefigrama mostra atmosfera saturada e marginalmente instável da superfície à tropopausa, que se encontra a 460 hPa, a 6000 metros de altitude.

Forte wind shear nos níveis baixos. Não se verifica a existência de veering.

TEFI.bmp

 

Observação satélite

02 UTC

Nas imagens de satélite observa-se a massa nebulosa associada ao sector quente.

S1.bmp

S2.bmpS3.bmp

 

NESDIS Operational Blended TPW Product

02 UTC

Observa-se um padrão consistente com o campo da agua precipitável total da análise ECMWF.

GR.bmp

 

Observação radar

Produto indicador de posição plana gerado a 0º de elevação para o campo

RSV (velocidade Doppler em relação à tempestade)

RA.bmpRA1.bmp

As imagens das 01:36 e 02:26 UTC mostram perturbações de pequena escala espacial e com ciclos de vida relativamente curtos com caraterísticas consistentes com o diagnóstico de supercélula, que estão assinaladas com círculos.

Verifica-se que o número deste tipo de estruturas aumenta durante este período.

A estrutura que deu origem ao tornado não se distingue das restantes.

O wind shear calculado no local do radar na camada entre 1200 e 6000 metros é 0,003 s-1, valor já encontrado noutros casos de ocorrência de tornado.

Evolução da supercélula

Produto indicador de posição plana gerado a 0º de elevação para o campo da refletividade (Z), gerado em simultâneo com o rastreio de velocidade Doppler.

GRAN.bmp

No campo  da refletividade entre as 02:06 UTC e as 02:36 UTC é possível identificar a supercélula que deu origem ao tornado, assinalada com círculos, e observar a evolução.

 

Produto indicador de posição plana gerado a 0º de elevação, para o campo RSV (relative storm velocity - velocidade Doppler em relação à tempestade).

GRAN2.bmp

No campo do vento os círculos assinalam o padrão de rotação correspondente à supercélula que deu origem ao tornado,durante a sua evolução entre as 02:06 UTC e as 02:36 UTC


Corte no campo da refletividade, sobre o campo RSV (velocidade Doppler em relação à tempestade) na elevação mais baixa.

02:16 UTC 02:26 UTC

copy_of_SEX1.bmp

copy_of_SEX2.bmp

Os valores de refletividade elevados limitam-se aos níveis mais baixos.

Encontra-se valores significativos de refletividade numa grande extensão horizontal entre 6000 e 8000 m de altitude, acima do nível da tropopausa identificado no tefigrama.

Tornado em Angeiras, Matosinhos

10 jan 2016 – 02:20 UTC

 

Partem-se os vidros temperados

da montra do bar junto à linha de

água (a maré estava cheia).

Há danos em cerca de 20 moradias

e 8 explorações agrícolas, com

telhados levantados, estores e

vidros partidos, danos em caleiras

e portões. Grande destruição no

interior das casas.

 

Fonte: Serviço Municipal de Proteção Civil e órgãos de comunicação social

TRI.bmp
F3.bmp

Percurso do Tornado

Fonte: Serviço Municipal de Proteção Civil de Matosinhos

 

 

O tornado forma-se no mar,

deslocando-se de oeste para leste

num percurso com comprimento 1,7

Km sobre terra

largura 40 m.

Intensidade F0 /T1

Prejuízo estimado em 60 a 100 mil €.

Não houve vítimas.

Local de ocorrência

Entrar


Esqueceu a sua senha?
Novo utilizador?