Superfície Frontal Fria - 1 de Janeiro de 2016

:

 

 

O estado do tempo em Portugal continental no dia 1 de janeiro de 2016 foi condicionado pela aproximação e passagem de uma superfície frontal fria (com atividade moderada), associada a uma depressão centrada a sudoeste das ilhas Britânicas (em fase de enchimento e em deslocamento para noroeste). Uma frente fria com ondulações, associada a um sistema frontal, com origem a leste do Canadá, deslocava-se no bordo norte de um núcleo anticiclónico (quase estacionário de pequena variação) localizado a sudoeste do arquipélago dos Açores.

Na figura 1, apresenta-se a análise de superfície para o referido dia, onde se representam as linhas de igual pressão atmosférica referente ao nível médio do mar (isóbaras), a localização das superficies frontais (quentes, frias e oclusas) e os centros de acção (depressões ou anticiclones).

SSS1.jpg

Fig.1 – Análise sinótica subjetiva para o dia 1 de janeiro de 2016 às 12 UTC.

Fonte: DWD.

 

Na figura 2, apresenta-se uma imagem de satélite, produto denominado de massas de ar, onde podemos observar a oeste do golfo da Biscaia uma região de ciclogénese com intrusão de ar estratosférico (cor vermelha) e valores elevados de vorticidade potencial bem como bandas de nebulosidade média (cor bege) e alta (cor branca) associadas à referida superfície frontal fria.

Na figura 3, apresenta-se uma imagem de satélite, no domínio do visível de alta resolução, onde podemos obter alguma informação adicional sobre o tipo de nuvens, como por exemplo as nuvens estratiformes associadas à aproximação e passagem da superficie frontal quente e a nuvens cumuliformes associadas ao ar frio pós-frontal, localizadas a oeste de Portugal sobre o oceano Atlântico.

Na figura 4, apresenta-se a representação gráfica do SYNOP do Porto às 12 UTC, sendo que o céu se apresentava muito nublado com chuva moderada e a visibilidade era inferior a 4000 m. O vento soprava moderado de sul. A temperatura do ar registada foi de 15ºC e a humidade relativa foi de 90 %. A pressão registada ao nível médio do mar foi de 1013.3 hPa, tendo apresentando uma descida de 1.9 hPa nas últimas 3 horas com tendência a estabilizar.

SSS2.jpg

Fig.2 – Imagem de satélite do MSG-2, produto RGB - airmass, para o dia 1 de janeiro de 2016 às 12 UTC.

Fonte: EUMETSAT.


De um modo geral, em Portugal continental o céu esteve muito nublado, diminuindo a nebulosidade a partir do início da tarde, de norte para sul. O vento foi fraco a moderado do quadrante sul, soprando moderado a forte com rajadas até 75 km/h no litoral oeste, e por vezes muito forte com rajadas até 115 km/h nas terras altas, rodando gradualmente para o quadrante oeste e diminuindo de intensidade. Ocorreram períodos de chuva, por vezes forte, nas regiões Norte e Centro, passando a regime de aguaceiros, em geral fracos, e que foram de neve acima de 1200 metros. Ocorreu neblina ou nevoeiro matinal. A temperatura mínima registou uma pequena subida nas regiões a norte do sistema montanhoso Montejunto-Estrela e uma pequena descida a sul. Registou-se uma pequena subida da temperatura máxima.

5SSS.jpgSS4.jpg

Fig.3 – Imagem de satélite do MSG-2, produto RGB-HRV,

para o dia 1 de janeiro de 2016 às 12 UTC.

Fonte: EUMETSAT.

Fig.4 – SYNOP do Porto às 12 UTC.

Fonte: IPMA.

 


 

Entrar


Esqueceu a sua senha?
Novo utilizador?