Neblina ou nevoeiro persistente em Portugal Continental nos dias 21 e 22 de Janeiro de 2016

:

 

 

Nos dias 21 e 22 de janeiro de 2016 o estado do tempo em Portugal continental foi influenciado por um anticiclone localizado a sul da Madeira, estendendo-se em crista sobre a Península Ibérica, que viria gradualmente a posicionar-se sobre a referida península, e por uma crista anticiclónica em altitude (figura 1). A entrada de uma massa de ar quente e húmida (figura 2) sobre o território, que esteve sujeito à queda de precipitação e a temperaturas mais baixas nos dias anteriores, proporcionaram as condições base para a formação de nevoeiro, que persistiu durante este período em alguns locais do continente.

copy_of_Nebl1.jpg

Fig. 1 – Previsão do modelo ECMWF para a Pressão ao Nível Médio do Mar e Geopotencial aos 500 hPa às 12UTC dos dias 21 e 22 de janeiro de 2016.

 

Nebl2.jpg

Fig. 2 – Previsão do modelo ECMWF para o TetaSW aos 850 hPa e a Pressão ao Nível Médio do Mar às 12UTC dos dias 21 e 22 de janeiro de 2016.

 

Nebl3.jpg

Fig. 3 – Compósitos RGB E-View das 9 e 15 UTC dos dias 21 e 22 de janeiro de 2016, respectivamente.

Os compósitos RGB da figura 3 (canal visível de alta resolução do sensor SEVIRI combinado com o canal IR10.8) permitem observar a densa cobertura nebulosa sobre a Península Ibérica. A presença de nuvens nas várias camadas da troposfera torna difícil a identificação detalhada em relação à altura das nuvens através destes compósitos.


Nebl4.jpg

Fig. 4 – Produto Cloud Type da SAF NWC para as 12 UTC do dia 22 de janeiro de 2016.

O produto Cloud Type (figura 4) identifica as nuvens presentes na região em questão, permitindo observar várias áreas com nuvens baixas ou muito baixas em Portugal continental. A identificação, pelo produto, de nuvens médias ou altas, não dá indicação da possibilidade de existirem, ou não, nuvens subjacentes às mesmas.

 

ddxx.jpg

Fig. 5 – Carta de superfície com os SYNOP das 12UTC do dia 22 de janeiro de 2016.

Na figura 5 podem-se ver observações de neblinas e nevoeiros, em várias estações meteorológicas do país, e temperaturas do ar e do ponto de orvalho que indicam saturação do ar. Algumas destas estações encontram-se em zonas de identificação de nuvens médias ou altas pelo produto Cloud Type (figura 4).

 

lilas.jpg

Fig. 6 – Previsão do modelo AROME para a Temperatura e Humidade Relativa a 2 m dos dias 21 e 22 de janeiro de 2016.

Previsão (figura 6) para a maior parte do território de valores acima dos 90% de humidade relativa a 2 m.

 

tefig.jpg

Fig. 7 – Previsão do modelo ECMWF para o perfil vertical às 12UTC do dia 22 de janeiro de 2016 no ponto da malha mais próximo da estação meteorológica de Lisboa - Gago Coutinho.

A previsão do perfil vertical para Lisboa (figura 7), mostra a baixa troposfera saturada e vento fraco à superfície.

Entrar


Esqueceu a sua senha?
Novo utilizador?